terça-feira, 5 de março de 2013

Se estivesse vivo hoje, Patativa do Assaré completaria 104 anos. Com certeza ele foi um marco na história do Ceará e do Brasil.

Sertão, argúem te cantô,
Eu sempre tenho cantado
E ainda cantando tô,
Pruquê, meu torrão amado,
Munto te prezo, te quero
E vejo qui os teus mistéro
Ninguém sabe decifrá.
A tua beleza é tanta,
Qui o poeta canta, canta,
E inda fica o qui cantá.

(De EU E O SERTÃO - Cante lá que eu canto Cá - Filosofia de um trovador nordestino - Ed.Vozes, Petrópolis, 1982)

Patativa do Assaré
5 de março de 2013 - 104 anos de Patativa do Assaré

“Não tenho sabença,
pois nunca estudei,
apenas eu sei
o meu nome assiná.
Meu pai, coitadinho,
vivia sem cobre
e o fio do pobre
não pode estudá”

2 comentários:

  1. Nossa! Ele é o poeta da realidade que soube muito bem poetar as durezas através das palavras. Um homem de visão, que via ao longe, bem de perto, o sofrimento do nordestino. Patativa ainda canta, canta, canta...

    ResponderExcluir
  2. Patativa sempre será um ícone, grande nome, entre aqueles que levaram seja através da música ou da poesia nossa realidade do Sertão, do homem do campo, do humilde agricultor. Grande e Eterno Patativa do Assaré!

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar meu Blog!!!