sábado, 14 de junho de 2014

Sobre o que aprendi no último encontro do Curso de História, Teoria e Linguagem do Cinema

 
Tive a oportunidade de participar ontem no Teatro Violeta Arraes do último encontro do Curso de História, Teoria e Linguagem do Cinema ministrado por ELVIS PINHEIRO - Programador e Mediador de Cinema no CINEMARANA, CINEMATÓGRAPHO e CINE CAFÉ. 
Elvis Pinheiro informou que os encontros do Cine Café Volante continuarão acontecendo em Nova Olinda, no Teatro Violeta Arraes, a cada 15 dias. O mesmo ficou de repassar as datas dos próximos encontros através do Facebook.  Os encontros são organizados nos turnos da tarde e da noite, sempre no mesmo dia – nos horários das 14:00h às 17:00h (Teoria) e a partir das 19:00h (sessão de Cinema).

Sobre o que aprendi...

Cinefilia
A cinefilia é o gosto pelo cinema e o interesse demonstrado por tudo aquilo que se relaciona com a sétima arte. Quem se interessa pelo cinema é considerado cinéfilo.
O próprio cinema tem produzido filmes onde a cinefilia é retratada, como em Cinema Paradiso, de Giuseppe Tornatore. Os realizadores de cinema fazem frequentemente referência a clássicos de cinema ou parodiam sequências de filmes, demonstrando assim que pertencem ao círculo dos cinéfilos.
A cinefilia está muito ligada ao fenômeno dos Cineclubes que, por exemplo, em Portugal tiveram um importante papel cultural na divulgação de filmes menos comerciais ou clássicos do cinema que despertam o interesse de quem gosta desta arte.
“Filme não é igual a Cinema.”
“Cinema não é igual a Filme.”
Cinema é Evento. Filme é uma imagem em movimento.

Quando aconteceu a 1ª Sessão de Cinema?

A Primeira sessão pública de cinema aconteceria em 1895.

O dia 28 de dezembro de 1895 é tido como o nascimento do cinema comercial. Com um programa fílmico de 40 minutos, os irmãos franceses Lumière perseguiam a meta que norteia a 7ª arte até nossos dias: maravilhar o público.

Cinema na Sala de Aula
Depende do foco didático que o Professor quer dá ao filme. Podendo, inclusive, fazer interferências durante a exibição do filme.

Como a gente vê a abordagem do filme?
Cada pessoa tem uma visão particular do filme. Isso seria o “olhar de cada pessoa”, de acordo, com o entendimento que o mesmo tem do conteúdo abordado no filme.
Se a pessoa não gostou do filme, então, não entendeu o enredo do mesmo.

Análise Sintagmática
Filme de Gênero e Filme de Enredo.
Outras abordagens:
Quando o filme aborda outras culturas, por exemplo, prende a atenção do expectador. Como uma abordagem étnica, onde poderemos aprender mais a partir de outros hábitos, costumes, culturas.
Quando há análise psicológica, o filme envolve o expectador.
OBS – a abordagem é a maneira que o expectador vê o filme.

Como é quebrado a quarta parede no Cinema?
A quarta parede é uma parede imaginária situada na frente do palco do teatro, através da qual a plateia assiste passiva à ação do mundo encenado. A origem do termo é incerta, mas presume-se que o conceito tenha surgido no século XVIII, com as teorias propugnadas por Diderot, quando este aponta: "Então, caso façais uma composição, ou caso representeis, pensai no espectador apenas como se este não existisse. Imaginai, na borda do teatro, uma enorme parede que vos separe da plateia; representai como se a cortina não se levantasse".
Quando o ator ou atriz olha diretamente para a câmera se dirigindo ao expectador, a quarta parede é quebrada.

Sobre a Mimese no Cinema:
Mímese, grosso modo, significa “imitação” e, nesse sentido, pode possuir diversas interpretações.
Para Platão, a arte, sob o prisma mimético, dizia respeito às opiniões e às aparências representadoras do mundo dito real. Segundo esta concepção, portanto, a mimese representa a imitação das aparências (da realidade).
OBS – a representação no Cinema não é a realidade, é apenas uma imitação do real. Convencer com a representação.
“Nós não conseguimos ver a realidade, mas sua representação.” – CONDIÇÃO HUMANA.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por visitar meu Blog!!!