quarta-feira, 4 de março de 2015

Mulheres que inspiram – Francisca Andréia Teles Barbosa Nergino

A quarta homenageada da Série Mulheres que inspiram é Francisca Andréia Teles Barbosa Nergino.
Francisca Andréia Teles Barbosa Nergino
Graduada em Língua Portuguesa e Língua Inglesa – URCA e Especialista em Gestão Escolar – FJN;
Coordenadora Pedagógica na Secretaria Municipal de Educação de Nova Olinda/CE.

ENTREVISTA
Lucélia Muniz - Dentro do contexto atual, na sua opinião, quais as principais conquistas alcançadas pelas mulheres?
Andréia Teles - O arquétipo da mulher independente, altamente competente é geralmente difundido nas classes média e alta, o que revela que um dos principais fatores que possibilitam a emancipação é a segurança financeira. Economicamente garantida, a mulher pode se sentir à vontade para ousar atitudes consideradas socialmente reprováveis: viajar sozinha, ter um emprego que a realize profissionalmente ou mesmo levar uma vida sexual independente. Deduz-se portanto, que, se pertencer a uma classe abastada favorece a emancipação da mulher ocidental, por outro lado, essa facilidade pode encobrir, mas não abolir a discriminação. E, hoje, passado séculos ainda prevalecem inúmeros mitos a respeito do papel da mulher, que elas ainda não puderam superar... Embora haja ainda muito pelo que lutar, o avanço vai sendo gradativo e com obstáculos demarcados que vão caindo um a um como uma guerra vitoriosa. Muitas conquistas, dentre outras, foram obtidas, cito algumas:
- O direito ao trabalho fora do lar; 
- O direito ao voto (1932);
- Nos esportes (1924);
- Entrar no mercado de trabalho;
- Divórcio;
- Poder ser eleita para o governo;
- Evitar a gravidez (com contraceptivos);
- Usar calças compridas;
- Poder matricular-se em curso superior;
- A mulher casada passa a ter os mesmos direitos do marido no mundo civil;
- É livre para adotar ou não o sobrenome do marido;
- Conquista o direito de fazer aborto em diversos países;
- Pode fumar e beber;
- Chega a cargos executivos e legislativos;
- Receber salários mais próximos dos pagos aos homens e etc...

Lucélia Muniz - E você, qual sua principal conquista enquanto mulher?
Andréia Teles - Depois que fui Mãe, ter conquistado meu ensino superior e especialização através de meus próprios esforços, posteriormente me tornando independente financeiramente. Hoje posso me considerar uma Mulher quase realizada!

Lucélia Muniz - Em pleno século XXI, quais situações ainda são enfrentadas pelas mulheres? Seja na questão de gênero, na falta de políticas públicas e/ou no contexto socioeconômico.
Andréia Teles - Conquistar a igualdade e a justiça, esses são alguns dos objetivos que as mulheres estão lutando para alcançar. Luta essa que começou a muito tempo e que não tem prazo para acabar. A mulher submissa, tratada como objeto, o "sexo frágil", está cada vez deixando de existir, dando lugar à mulher batalhadora, independente, trabalhadora, ciente de seus direitos perante a sociedade. Vem derrubando tabus, revolucionando tradições, marcando presença em lugares antes restritos somente aos homens. Muitos são os resultados alcançados pelas mulheres, mas tem-se muito pelo que lutar. O preconceito, a discriminação, a violência, as desigualdades sociais ainda são um tormento que atingem a mulher em cheio.

Lucélia Muniz - E como a Educação pode ser usada como uma “arma” no combate a estas situações?
Andréia Teles - Parafraseando Nelson Mandela: “A educação é a arma mais poderosa que podemos usar para mudar o mundo. Devemos promover a coragem onde há medo, promover o acordo onde exista conflito e inspirar esperança onde há desespero.” Todos os indivíduos devem ser educados. O direito a educação é um direito prioritário, mas não é um direito a uma educação qualquer, é um direito a uma educação com qualidade de desenvolvimento social e humano. A escola deve estar inserida neste processo de formação de valores e comprometer-se com o desenvolvimento de capacidades que permitam intervir na sociedade: transformá-la, já que um indivíduo com valores pode ser o início do caminho para um mundo melhor. Não podemos mais tratar os valores como conceitos e/ou ideias mas, fazer com que a mudança aconteça partindo dos nossos exemplos e ações, possibilitando aos outros ou fornecendo aos jovens imagens superiores de vida pelos nossos exemplos. Investimento na educação é a solução para combater a pobreza e a exclusão!

Lucélia Muniz - Deixe-nos uma mensagem neste Dia Internacional da Mulher.
Andréia Teles - Que Nós Mulheres não devemos silenciar, devemos ir atrás de nossos direitos e nunca deixarmos abater pelos obstáculos que a sociedade impõe. Devemos trabalhar em grupo, denunciando e reagindo contra a impunidade, para que sejamos sempre reconhecidas e respeitadas como seres humanos dignos de Direitos e Deveres.
Parabéns a Nós, Mulheres que constituem a metade mais bela do mundo!!

Um comentário:

  1. Mensagem inspiradora!
    bjs Sandra Portugal
    www.projetandopessoas.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar meu Blog!!!