sábado, 22 de agosto de 2015

2º dia da Formação em Ensino de História e Cultura Afro Indígena Cearense

“Sou igara nessas águas
Sou a seiva dessas matas
E o ruflar das asas de um beija-flor!”
Ontem (21) passamos pelo segundo dia da Formação em Ensino de História e Cultura Afro Indígena Cearense realizado pela 18ª CREDE.
Logo pela manhã acompanhamos a Palestra – Negritude, Identidade e Luta com o Prof. João Luiz do Nascimento Mota da URCA – Universidade Regional do Cariri. O mesmo destacou sua experiência a partir de sua vivência em São Tomé e Príncipe de onde tem nacionalidade (está no Brasil a 30 anos). Falou sobre o processo de escravização dos negros no continente africano, ressaltando as peculiaridades culturais de cada país deste continente e afirmou: “Não existe uma África, mas várias Áfricas.” Na oportunidade definiu e explicou o que é Negritude. E, destacou a contribuição de pensadores negros no processo de libertação e conscientização dos movimentos referenciados pela Negritude.
Em seguida assistimos a Palestra – Personalidades Negras que mudaram o mundo com o Prof. Nicolau Neto da EEEP Wellington Belém de Figueiredo. O Prof. Nicolau Neto fez um relato e considerações acerca do trabalho desenvolvido em sala de aula pelos professores da área de Humanas com as atividades voltadas para o estudo das personalidades negras. Lembrou que os alunos não conseguiam, inicialmente, identificar essas personalidades, tendo uma visão pautada na mídia. Dentre as personalidades citadas pelo mesmo, destacou Abdias do Nascimento. Uma das ações desenvolvidas pelo Professor foi o lançamento da Série Personalidades Negras que mudaram o mundo em seu blog pessoal – Informações em Foco (IF) – onde os alunos puderam acompanhar estas postagens.
O Prof. Marcos Ramos ministrou a Palestra – Pesquisa sobre a comunidade de Poço Dantas. Prosseguiu sua fala dizendo como se deu o processo de colonização do Cariri. Enfatizou que existem outros cariris identificados em outras regiões, sendo a nossa região apenas o vale dos cariris. Dentro da chamada Confederação dos Cariris falou sobre a “Guerra dos Bárbaros” -um Movimento de resistência de indígenas brasileiros da nação Cariri (ou Kiriri) à dominação portuguesa. “Cariri” significa tristonho, calado, silencioso. Capistrano de Abreu (historiador cearense) os descreve como “valentes e de terrível resistência talvez os de mais persistência que os portugueses encontraram. Em pesquisa feita na comunidade de Poço Dantas juntamente com os alunos, identificou descendentes indígenas, suas características culturais e sociais, bem como, o uso do sobrenome Cariri presente no nome de algumas pessoas.
A Palestra sobre o Projeto Ecos do Caldeirão foi ministrada pelo Pe. Vileci. O mesmo destacou a importância de se criar uma Teia da Sustentabilidade no Cariri. A ideia de sustentabilidade passando pelas esferas religiosa (de forma ecumênica), social e econômica. O Projeto tem a pretensão de articular a Teia da Sustentabilidade e contribuir com o Desenvolvimento Regional. Sustentabilidade, tendo em vista a sociedade do Bem Viver, considerando que a Igreja é uma grande defensora de homens, mulheres, idosos, jovens e crianças, no campo e na cidade, sobretudo os mais excluídos e marginalizados da sociedade. O Projeto compreende a criação de unidades de produção ecológica demonstrativas e ampliação da reaplicação de práticas sustentáveis.

Este foi um momento de um aprendizado riquíssimo que irá dá embasamento e empoderamento para desenvolvimento de projetos, ações e atividades voltadas para o nosso (re)conhecimento enquanto nossas raízes negras e indígenas.
Professora Lucélia Muniz
Área de Ciências da Natureza

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por visitar meu Blog!!!