sexta-feira, 11 de março de 2016

Elas por Eles com Gustavo Almeida

Gustavo Gonçalves de Almeida
Estudante, Músico, santanense residente em Santana do Cariri-CE.
ENTREVISTA nº 11
Lucélia Muniz - Dentro do contexto atual, na sua opinião, quais as principais conquistas alcançadas pelas mulheres?
Gustavo - O que se destaca dentro do contexto social recente é o fato das mulheres estarem descentralizando os serviços domésticos e conquistando cada vez mais o mercado de trabalho, ocupando cargos anteriormente comandado por homens, a exemplo, a construção civil. Algumas leis de incentivo e proteção ao trabalho da mulher foram criadas e com isso, mais espaço para a sua atuação na sociedade trabalhista. Elas hoje são mais independentes e estão alcançando diariamente em uma luta constante cada vez mais credibilidade na sociedade, na política e entre outros setores.

Lucélia Muniz - Em pleno século XXI, quais situações ainda são enfrentadas pelas mulheres? Seja na questão de gênero, na falta de políticas públicas e/ou no contexto socioeconômico.
Gustavo - Nem tudo está como deveria. A violência doméstica, a qual muitos parceiros se tornam agressores; o preconceito que ainda existe principalmente no campo de trabalho, tanto quando o assunto é a mão de obra quanto os seus honorários. A desigualdade salarial infelizmente ainda existe, entre outras coisas. Para que uma mulher chegue a um cargo de chefia é exigido não só qualificação técnica como também “boa aparência”, o que em minha opinião é um absurdo. Infelizmente, muitas barreiras sociais ainda precisam ser quebradas. 
                                                                                                                               
Lucélia Muniz - E como a Educação pode ser usada como uma “arma” no combate a estas situações?
Gustavo - Penso que a educação é a ferramenta de transformação em qualquer que seja a circunstância.  Educar, principalmente as crianças é o primeiro caminho, pensando em uma mudança de grande resultado, mas com um pouco mais de tempo.
Campanhas escolares onde os alunos possam se debruçar sobre informações, buscar um aprofundamento sobre as dificuldades enfrentadas no dia a dia da mulher. Algo eficaz e contínuo, que não dura apenas a semana que antecede o dia 8 de março, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher.
Parafraseando Paulo Freire quando fala que “a educação qualquer que seja, é sempre uma teoria do conhecimento posta em prática”.  

Lucélia Muniz - Neste Dia Internacional da Mulher, no mês de março, qual Mulher você gostaria de homenagear em nome de todas? Por que? 
Gustavo - Minha avó materna!

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por visitar meu Blog!!!