sábado, 19 de março de 2016

Elas por Eles com Vandbergue Santos

Vandbergue Santos Pereira
Novolindense, graduado em Biomedicina, Mestrando em Microbiologia Médica, residente no município de Fortaleza-CE.
ENTREVISTA nº 20
Lucélia Muniz - Dentro do contexto atual, na sua opinião, quais as principais conquistas alcançadas pelas mulheres?
Vandbergue Santos - No contexto atual, creio que das diversas conquistas a que me chama mais atenção é a individualidade, no sentido de sua independência. Creio que é o objetivo da maioria das mulheres, ter sua própria independência.

Apesar da importância da união familiar e do papel crucial que a mulher desempenha nesse aspecto, creio que é sempre importante que ela tenha sua individualidade e independência na família, assim como social, não dependendo na sua totalidade de terceiros para realizar suas conquistas.

Lucélia Muniz - Em pleno século XXI, quais situações ainda são enfrentadas pelas mulheres? Seja na questão de gênero, na falta de políticas públicas e/ou no contexto socioeconômico.
Vandbergue Santos - Citar as dificuldades enfrentadas pelas mulheres na atualidade é uma tarefa relativamente fácil, tendo em vista que se percebe está em diversas esferas. A início é possível perceber a diferença de gênero no âmbito profissional, onde ilogicamente as mulheres ganham salários inferiores aos homens para desempenhar a mesma função que estes.

Outro aspecto muito visível é a “problemática” acerca do corpo feminino. O corpo feminino é naturalmente tido como sensual, e por vezes a exploração dessa sensualidade pelas mulheres é julgado pela sociedade, inclusive por outras mulheres, de forma preconceituosa. Trajar roupas sensuais não é convite nem tão pouco autorização para que se haja agressão moral, ou ainda pior, agressão física a estas mulheres.

Diversas outras problemáticas surgem ou ainda continuam a acontecer por problemas de políticas públicas, mas ao meu ver, principalmente por falta de respeito entre as pessoas. Viver em uma sociedade significa em suma, respeitar o direito do próximo.

Lucélia Muniz - E como a Educação pode ser usada como uma “arma” no combate a estas situações?
Vandbergue Santos - A educação é em si a melhor arma para o combate de quaisquer injustiças sociais. Os problemas sociais têm uma base de transmissão voltada para a família. Um pai que vê na mulher apenas uma dona de casa, transmite para o filho essa ideia, que irá muitas vezes crescer com os mesmos preceitos e opiniões adquiridas no âmbito familiar. A sociedade é montada a partir das pessoas, a educação dos mais jovens e mesmo dos mais velhos é a única arma de fato efetiva para mudar ao decorrer das gerações as opiniões minimalistas acerca do papel da mulher na família, na sociedade e nas diversas profissões existentes.

Lucélia Muniz - Neste Dia Internacional da Mulher, no mês de março, qual Mulher você gostaria de homenagear em nome de todas? Por que? 
Vandbergue Santos - Sem dúvidas a escolha para essa homenagem é a minha Mãe (Ana Cleide). Não conheci em toda a minha vivencia de mundo uma mulher como ela. Com o passar de anos e de muita garra e esforço ela conquistou tudo que possui hoje, e não me refiro a bens materiais, mas sim a sua independência social e realização profissional. Em meio a tantos afazeres e responsabilidades profissionais, ela ainda consegue tempo para se envolver em eventos sociais, sem nunca deixar de lado a família. É um exemplo que as conquista profissionais não são acompanhadas de desligamento familiar, que é possível sim, ser uma mulher independente, ter tempo para si mesma, para a família, para o trabalho e claro para as amizades. Ela é prova que a mulher pode ser mais que uma esposa, mais que uma mãe, mais que uma dona de casa, que a mulher pode ser de fato, uma mulher, na sua totalidade e perfeição. É o meu maior orgulho, o meu exemplo de vida e meu exemplo do que é uma mulher de verdade.

Um comentário:

Obrigada por visitar meu Blog!!!