quinta-feira, 2 de junho de 2016

Histórias de Rainhas africanas – Somos todas Rainhas!!!

"Histórias de rainhas africanas, guerreiras onde cada uma em seu tempo comandaram impérios mostrando ao mundo durante todos esses quase 10 mil anos de existência da humanidade a força, a garra e a beleza da Mulher Negra". (UNEGRO - RJ)

Somos todas Rainhas!!!

Elaborado por Shaira Leiza em 08/03/2016

TIYE
Tiye (1398 a.C. - 1338 a.C., também escrito Taia, Tiy e Tiyi) era filha de Yuya e Tuiu (Thuyu também escrito). Ela se tornou a grande esposa real do faraó egípcio Amenhotep III. Ela era mãe de Akhenaton e avó de Tutankhamun. Sua múmia foi identificada como "The Lady Elder" encontrado no túmulo de Amenhotep II (KV35) em 2010.

Egiptólogos têm sugerido que o pai de Tiye, Yuya, era de origem núbia, devido às características de sua múmia e as muitas grafias diferentes de seu nome, o que pode implicar que era um nome não-egípcio de origem. Alguns sugerem que a rainha tinha fortes opiniões políticas e religiosas não convencionais. Isso pode ter sido devido não apenas a uma personalidade forte, mas a descendência estrangeira.

Seu marido dedicou uma série de santuários para ela e construiu um templo dedicado a ela em Sedeinga em Nubia onde ela era adorada como uma forma da deusa Hathor - Tefnut.

Tiye era enérgica durante os dois reinados de seu marido e filho. Tiye tornou-se conselheira e confidente de seu marido. Ser sábio, inteligente, forte e feroz, ela foi capaz de ganhar o respeito de dignitários estrangeiros. Líderes estrangeiros estavam dispostos a tratar diretamente com ela. A mesma continuou a desempenhar um papel ativo nas relações exteriores e foi a primeira rainha egípcia a ter seu nome gravado em atos oficiais.

Tiye pode ter continuado a aconselhar seu filho, Akhenaten, quando ele assumiu o trono. A correspondência de seu filho com Tushratta, o rei de Mitanni, fala muito da influência política que ela exercia na corte.

Amenhotep III morreu no ano 38 ou 39 anos de seu reinado (1353 a.C./1350 a.C.) e foi enterrado no Vale dos Reis. Tiye continuou a ser mencionada nas cartas de Amarna e em inscrições como rainha e amada do rei. Em uma inscrição aproximadamente datada de 21 de novembro do ano 12 do reinado de Akhenaton (1338 a.C.), tanto ela como sua neta Meketaten são mencionados pela última vez. Elas devem ter morrido logo após essa data.

Até 2010, a análise de DNA, patrocinado pelo secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades Egípcias Zahi Hawass, foi capaz de identificar formalmente a Lady Elder ser rainha Tiye. Além disso, os fios de cabelo encontrados no interior do túmulo de Tutankhamun combinava com o DNA da Lady Elder.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por visitar meu Blog!!!